Futuro tá em falta

Esses dias pediram para que eu escrevesse o que eu via como o futuro que deveríamos construir. Eu deveria ter a resposta, eu trabalho com esse negócio de imaginar coisas que ainda não existem. Mas não vinha nada. Comecei a escrever um futuro bem paz e amor, cafoninha como acaba sendo toda projeção otimista. Mas me faltavam cores para imaginá-lo. Acabava de saber da morte de Willian Santiago, ilustrador talentosíssimo. E do Paulo Gustavo, um gigante da comédia. Genocídio e chacina são as palavras do momento. As milhares de vidas brasileiras perdidas todos os dias para uma doença para a qual já existe vacina. Luto. Guerra. É o Estado quem está matando. 24 pessoas assassinadas no Jacarezinho, sumariamente condenadas à morte por aqueles que também executam a sentença. Banho de sangue, falta de ar.

Read →